Morar fora e a arte do desapego

Para se andar para frente é necessário desapegar… este tem sido meu mantra nos últimos tempos. Eu comecei a trabalhar cedo e a desde o começo batalhei para TER as minhas coisas, minha casa, meu carro, e etc… porém para sair do Brasil é preciso deixar o TER de lado, é preciso abrir mão de COISAS que em um primeiro momento parecem ser extremamente importantes porém que não são tão importantes assim quando de avalia o todo.
Continuar lendo

Custo de Vida

Engana-se quem pensa que sair do Brasil é fácil, além de todo processo emocional envolvido existe uma série de medos, um deles é será que consigo pagar minhas contas por lá? Como será o custo de vida? Será que estou fazendo as contas certas?

Pois bem… estou certa que vou errar nas contas, pois a realidade é sempre diferente, foi assim quando sai de São Paulo à caminho do Rio de Janeiro e será assim em Melbourne também, porem não custa nada tentar estimar o máximo possível e para isso existe uma série de sites que podem te ajudar.

Primeiro passo é descobrir seu salário real, eu usei o PayCalculator para este fim, é super simples, tudo que você precisa e entrar com o seu salário e o sistema calcula o imposto, como entrei com meu salário anual, no meu caso o valor já inclui o superannuation, então indiquei isso no sistema, com estes dados ele já retornou meu salário semanal, quinzenal, mensal e anual liquido <3. Continuar lendo

Screening Test/Background check.

Para quem não leu os posts anteriores, estou no inicio do processo de visto temporário de trabalho para a Austrália, e tenho registrado aqui o que andei aprendendo durante o mesmo.

Alguns dias atrás, após eu receber a confirmação da entrada do processo do meu visto recebi um convite para preencher uma série de formulários para dar inicio ao screening test… porem, que raios é isso?

O screening test é uma espécie de investigação de validação das declarações do candidato, neste caso das minhas declarações ao longo do processo de seleção. A minha futura empresa contratou uma outra empresa especialista neste tipo de processo.

Continuar lendo

Mudando para Australia II – Seguro de Saúde

Para vir para a Austrália é obrigatório estar coberto por algum seguro-saúde. Se você esta tirando o visto de turismo você pode fazer os seguros viagem tradicionais de viagem, daqueles que por exemplo a Assist Card ou o ISIS fazem. Você pode fazer tudo online, desde calcular o valor à comprar de fato o seguro. Extravio de bagagem, perda do voo, acidentes e imprevistos do gênero devem ser cobertos pelo seguro para evitar possíveis dores de cabeça e concordatas, diante das contas astronômicas com despesas médicas e afins. Isso porque o sistema de saúde na Austrália é privado, somente os residentes e viajantes provenientes de países que possuem (o Brasil não possui!) tratado de reciprocidade podem usufruir de graça do atendimento médico emergencial. Continuar lendo

Mudando para a Australia I

Opa! Fui aprovada em uma vaga para a Austrália, e agora? Este foi meu primeiro pensamento quando recebi a oferta de trabalho, apesar de todo o apoio da empresa que esta me contratando ainda me vejo perdida com os procedimentos para o meu visto.

Para começar existem 69 opções de visto para Austrália para nós Brasileiros… pois é… tenso! Cada visto pode ou não te dar direito há um conjunto diferente de benefícios, por isso é importante conhecer quais são os direitos do visto que você vai pleitear, no meu caso é ‘Visto de Sponsor – Subclasse 457‘ (Temporary Work Skilled Visa) ou Visto Temporário de Trabalho Qualificado. Como o próprio nome diz ele só é oferecido para pessoas que tem uma profissão de alta demanda no país e só pode ser requerido por empresas australianas autorizadas a patrocinar ou sponsorar uma pessoa não residente ou cidadã da Austrália, ou seja, é um visto bem requisitado, porém difícil de ser conseguido.
Continuar lendo

5º dia – Salar de Tara

“Enquanto que o desenhista começa pelo centro da folha, o fotógrafo, principia pela moldura.” –J. Szarkowski

Último dia em San Pedro de Atacama destino? Salar de Tara, passeio de um dia inteiro. Mais uma vez a agência foi me buscar na porta do hostel no inicio da manhã, fomos em um grupo bem pequeno 4 pessoas além do motorista. Este foi o passeio mais longo desta parte da viagem, pois são praticamente duas horas de estrada para chegar lá e duas horas para voltar. E na estrada passaríamos pelo ponto mais alto de toda a viagem: 4.800m acima do nível do mar.

Saímos de San Pedro de Atacama um pouco antes das 7hs da manhã e pegamos a estrada rumo ao Salar a estrada sempre nos presenteava com uma paisagem novo e belíssima, paramos em um mirante para tomar café da manhã quase a sombra do Licancabur. Nessa parada o sol já estava nos aquecendo e deixando a paisagem ainda mais linda. Passamos por diversos lagos formados pelo derretimento da neve nas montanhas da região, e vimos muitos flamingos pelo caminho.
Continuar lendo

4º dia – Laguna Cejas + Tebenquinche + Ojos del Salar

“Fotografar é imortalizar um momento único, ao qual não se poderá mais voltar, senão através daquele registro. Nada mais que um simples clique, um momento, um único e eterno registro.” –Autor Desconhecido

Quem me conhece sabe que eu não sou o tipo de pessoa que gosta de ficar ‘moscando’ em lagos, mas me falaram tão bem da vista do lugar que resolvi pagar para ver. Afinal depois de 3 dias e meios bem puxados eu precisava de um passeio mais tranquilo.

A primeira parada deste tour é na Laguna Cejas, ela fica há cerca de 30 km de San Pedro de Atacama e devido a alta taxa de salinidade da água ela ganhou o apelido de “Mar Morto sul-americano”. Sendo assim, quem se habilita a mergulhar em suas águas não afunda. Suas margens estão cristalizadas pelo sal e a água é verdinha, a laguna é cercada por matinhos dourados e podemos ver ao fundo o vulcão Licancabur, figura constante nos tours da região.
Continuar lendo

4º dia – Geysers del Tatio + Machuca

“O escritor e o fotógrafo utilizam as mesmas ferramentas, mas enquanto um descreve uma imagem com mil palavras o outro descreve mil palavras com uma imagem.” –Jefferson Luiz Maleski

A agência me buscou pontualmente as 4 da manhã (parte mais difícil do tour), sai do hostels bastante sonolenta para enfrentar a estrada. Depois de pegar todos os passageiros o guia fez uma rápida explicação sobre como seria o tour, e nos alertou que subiríamos rapidamente até 4.321 metros de altitude (San Pedro fica a 2.400), e que para não sofrermos os efeitos da altitude deveríamos respirar profundamente e tomar pequenos goles de água durante o trajeto, sendo que a agência já tinha me orientado que para evitar o mal-estar de altitude/soroche, era recomendado não tomar álcool nem comer carne vermelha na véspera. A viagem não durou mais que uma hora.
Continuar lendo

3º dia – Yerbas Buenas + Valle Arcoíris

“Fotografar é conseguir captar o que existe atrás do que se vê com os olhos…é ver através de uma parede invisível….” — Autor Desconhecido

Começamos o passeio pelos Petroglifos (desenhos feitos em rochas pelos nativos do Atacama e que em alguns casos têm mais de 13.000 anos) e Yerbas Buenas, onde nosso guia nos deu muita informação sobre a cultura atacameña e também vimos os petroglifos, junto com outras artes feitas pelo povo do Atacama milhares de anos atrás. Continuar lendo

2º dia – Valle de La Luna

“A câmera não faz diferença nenhuma. Todas elas gravam o que você está vendo. Mas você precisa VER!” –Ernst Haas

Depois de passar a primeira parte do dia nas belíssimas lagunas mal tive tempo de almoçar para pegar o ônibus da agência para o próximo destino, o famoso Valle de La Luna.

Valle de La Luna

Localizado a aproximadamente 10 km do centro de San Pedro, em uma depressão pré-andina conhecida como Cordilheira de Sal, o Valle de la Luna é a uma das atração mais visitadas da região. Continuar lendo